A World Wide Fund for Nature (WWF) abriu o caminho para o ASC iniciando e coordenando os Diálogos para Aquicultura.

Os Diálogos da Aquicultura foram uma mesa redonda composta por múltiplas partes interessadas formalmente iniciada em 2004 com o objetivo de:

  • Desenvolver níveis verificáveis de desempenho ambiental e social que reduzam ou eliminem, de forma mensurável, os principais impactos da criação de salmão e sejam aceitáveis para as partes interessadas;
  • Recomendar padrões que atinjam esses níveis de desempenho ao mesmo tempo em que permitem que a indústria de salmão permaneça economicamente viável

Universal, aberta e transparente, a iniciativa Diálogos da Aquicultura concentrou-se em minimizar os principais impactos ambientais e sociais da aquicultura. Cada Diálogo produziu padrões para um ou vários grupos de espécies aquícolas baseados em dados científicos, desempenho, métricas e globalmente aplicáveis aos sistemas de produção aquícola, cobrindo muitos tipos, locais e escalas de operações.

Os Diálogos aconteceram em mais de uma década. O processo foi transparente e inclusivo realizado em várias cidades ao redor do mundo para garantir um processo multicultural e de múltiplas partes interessadas. Os diálogos e os padrões de normas resultantes refletem a contribuição direta de mais de 2.000 ONGs, cientistas, aquicultores, varejistas e outras partes interessadas importantes da indústria da aquicultura.

Padrões para Aquicultura Responsável

Os Diálogos de Aquicultura resultaram na elaboração de padrões de normas para 12 espécies: salmão, camarão, tilápia, pangasius, truta, abalone, bivalves (ostras, mexilhões, amêijoas e vieiras), seriola e cobia. As espécies iniciais foram selecionadas com base no seu grau de impacto sobre o meio ambiente e sociedade, seu valor de mercado e comercialização internacional.

A Iniciativa de Comércio Sustentável holandesa (IDH) uniu forças com a WWF Holanda para criar o Aquaculture Stewardship Council em 2010. O ASC foi estabelecido como uma organização totalmente independente, sem fins lucrativos, tanto para gerenciar os padrões desenvolvidos para cada espécie quanto para criar padrões futuros com base na necessidade e demanda do mercado.

ISEAL

Desde sua fundação o ASC montou seu próprio sistema para desenvolver, operacionalizar, gerenciar e revisar padrões baseados nos Diálogos de Aquicultura originais. Para fazer isso de maneira confiável, todos os padrões ASC são criados de acordo com o Código de Boas Práticas para Elaboração de Padrões Sociais e Ambientais do ISEAL Alliance.Este Código de Boas Práticas está em conformidade com o Código de Boas Práticas de Padronização do Guia ISO / IEC 59, e com o Acordo de Barreiras Técnicas ao Comércio (TBT) da OMC- Anexo 3 Código de Boas Práticas para a preparação, adoção e aplicação de normas.

A associação a ISEAL Alliance está disponível para qualquer padrão de sustentabilidade de múltiplas partes interessadas e Organismos de Acreditação que demonstrem sua capacidade de cumprir os Códigos de Boas Práticas da ISEAL e os requisitos que os acompanham, além de se comprometerem com o aprendizado e aprimoramento. Por meio da participação na ISEAL, os Sistemas de Padrões demonstram o compromisso de apoiar um movimento unificado de padrões de sustentabilidade. O ASC ingressou na ISEAL como membro associado em janeiro de 2013 tornou-se membro efetivo em abril de 2015. O ASC é o único esquema de aquicultura a ser aceito como membro pleno da ISEAL.

Sobre nós

×
×
Selecione o idiomaSelect LanguageWählen Sie Ihre Sprache言語を選択する选择语言Seleccione su idiomaSélectionnez votre langueSelect languageSelect language